Foi aprovado, no Conselho Municipal de Educação, o Plano de Transportes Escolares para o ano letivo 2021/2022, que prevê que o Município passe a apoiar em 50% o passe mensal dos alunos que estudam fora do concelho e utilizam os meios de transporte ferroviários para se deslocarem para os seus estabelecimentos de ensino.
Este apoio surge na sequência da recente eletrificação do troço Caíde-Marco, da linha ferroviária, e será atribuído aos alunos que frequentem até ao Ensino Secundário e que não disponham da existência de vaga ou curso nas escolas do concelho.

“É mais uma medida de justiça social para as famílias e de apoio ao sucesso escolar dos alunos marcuenses. A Câmara Municipal já apoiava a deslocação destes alunos em transporte rodoviário mas com a crescente utilização que temos registado no transporte ferroviário, faz todo o sentido alargar este apoio”, explica Cristina Vieira.

No próximo ano letivo mantém-se também a colaboração com as Juntas de Freguesia, através de Protocolos de colaboração no âmbito do reordenamento da Rede Escolar, que permitem o transporte de alunos cuja distância para os estabelecimentos de ensino e cujos percursos são considerados de risco.

Estima-se ainda um acréscimo de necessidades em termos de circuitos especiais de transporte de alunos com necessidades de saúde específicas, que representam um total de cerca de 150 mil euros.

“Temos a perfeita consciência da importância de uma boa rede de transporte escolar e temos estado em constante articulação, quer com o operador de transportes do concelho, quer com a comunidade educativa no sentido de responder a todas as necessidades. Tem existido total cooperação em nome do interesse das famílias e dos alunos, e agradeço a todos os parceiros por partilharem do empenho do Município”, sublinha Cristina Vieira.

Para todo o Plano de Transportes Escolares de 2021/2022 o Município prevê investir cerca de 840 mil euros.