Hora local: 11:52
logotipo
Você está aqui: Página inicial > Visitar > Turismo > Gastronomia

Gastronomia

Um país, uma região ou um concelho tem as suas características próprias e a gastronomia é, sem dúvida, um factor de caracterização. O Marco de Canaveses não foge à regra e assim, tem o Anho Assado com Arroz de Forno, o Verde, a Roupa Velha e a lampreia (no Torrão) como pratos regionais.

Embora o anho seja um prato usado em diversas regiões o nosso tem um sabor diferente dos demais. O anho deve ser bem untado com um molho próprio (que leva cebola, alho e salsa picada, colorau, sal, azeite, óleo e vinho verde branco, tudo bem misturado) e assim deve ficar durante algumas horas. O arroz é assado numa pingadeira de barro e para ficar com mais sabor, é posta uma grelha por cima, onde vai ser colocado o anho, vai assim ao forno. Para completar esta saborosa iguaria na mesma fornada são assadas as batatas.

O Verde (ou Bazulaque) é uma mistura de várias carnes, entre as quais, carne de vaca, frango, chouriço (fumado) e miúdos de porco que, depois de cozidas, vão ser partidas em bocados miúdos e adicionadas ao estrugido, aos quais se adiciona pão (partido em bocadinhos) e sangue de porco, previamente cozido e ralado.

A Roupa Velha, muito utilizada no Natal é feita com as sobras do bacalhau cozido com batatas, que depois de desfiadas se misturam e se colocam numa frigideira e se temperam com vinagre e alho.

Como um bom prato pede sempre um bom vinho, não nos podemos esquecer dos nossos excelentes vinhos verdes, dos quais existem alguns bons produtores e engarrafadores. Pertencendo à Região Demarcada dos Vinhos Verdes, aqui se criou e promove a Rota dos Vinhos do Marco de Canaveses.

Como sobremesa a nossa doçaria regional apresenta as fatias do Freixo, as cavacas do Freixo e de Favões, os biscoitos de Soalhães, o pão-de-ló e o pão-podre (estes dois últimos mais utilizados na época da Páscoa). As fatias e as cavacas do Freixo, tal como o nome indica, são feitas no Freixo pela "Casa dos Lenteirões", uma casa com tradição na confecção destes doces regionais, que também fabrica um delicioso pão-de-ló.

O pão-de-ló e o Pão Podre são os nossos doces tradicionais na Páscoa. O Pão Podre, desconhecido noutras regiões, é feito com ovos batidos, manteiga, canela, açúcar, sumo de limão, fermento e farinha de trigo, que depois de misturados e bem amassado fica a repousar durante 24 horas; passado esse tempo, parte-se aos bocados, enrola-se (com a ajuda de farinha) e molda-se em forma circular (de regueifa); leva-se ao forno, quando sai, ainda quente, leva umas pinceladas de manteiga.

Como uma boa refeição não é completa sem uma boa entrada não podemos deixar de referir os nossos enchidos. Tal como acontece um pouco por todo o norte de Portugal, pelo S. Martinho reúne-se a família e amigos e mata-se o porco. Da matança surgem os presuntos, os chouriços e os salpicões, que depois de bem fumados nas nossas tradicionais lareiras são um óptimo pretexto para um bom lanche ou para uma "petiscada", em qualquer hora do dia.

 

Conheça a nossa gastronomia

Verde / Bazulaque Anho Assado com Arroz de Forno Fatias do Freixo